Pernoites no Sofá

Pernoites no Sofá

Pernoites no Sofá

Se a pele não responde mais ao toque com um arrepio
Se o beijo não tem sabor e o coração tá vazio
A gente se olha, mas não se reconhece

O nosso tarde sempre é cedo pra voltar pra casa
Já são tantas pernoites no sofá da sala
Tudo por orgulho e marra

E só pra constar: escutei muito Eu te quero
Mas só o seu me interessa

Eu abro mão dá razão e você desce do salto
Pra nunca mais dormir brigado a gente faz um trato
Deixa essa greve de amor, jejum de carinho
Que hoje o sofá vai dormir sozinho

Comentários