Colhendo Tempestades

Colhendo Tempestades

Colhendo Tempestades

Não sou mais o mesmo
Eu desapontei você
Guardei os nossos objetos
Juntei as lembranças e gestos
Tudo para preservar
Congelar um momento assim
Onde nós éramos sim
Nós éramos sim
Prometi me afastar
Quis tanto romper os laços
Decidi me calar
Resolvi cruzar os braços
Tentei e quase consegui
Lutei e quase te esqueci
Quando você disse não
Você disse não
Já de volta à casa
Eu alimentei o cão
Para as plantas trouxe água
Pra te esperar, sentei no chão
Antes do sono você
Veio em par com o silêncio
Perguntei nós dois talvez
Nós dois talvez
A cena armada
A mesa posta
Chorei nossa linha torta
Meu pesar rejeita a volta
Outra resposta natural
Eu pensei nunca
Nunca
Entre tantas mentiras
Colheita de tempestades
Na fartura das certezas
Quiseste possibilidades
Para abrir os olhos meus
Me trazendo a claridade
Agora eu sei nós éramos não
Você disse não

Nós dois nunca mais

Comentários