Foi Por Conveniência

Foi Por Conveniência

Foi Por Conveniência

Bonito não é nem chega aos pés
Do conto de fadas que a moça sonhou

Não foi por querer foi por convencer
De tanto forçar ele se acostumou
Não soltou

Água mole na pedra bateu
De tão dura a pedra cedeu
Ela achou que era amor
Ele achou confortável ficou

Não foi por amor
Foi naquele domingo, de cama vazia
Saudade dos filhos, da mensagem de bom dia
Medo de morrer sozinho, pressão da família
Foi tudo menos isso que chamam de amor

Não teve pedido, nem data marcada
Nem quer casar comigo, nem beijo na escada
Em nome da solidão e da carência

Não foi por amor, foi por conveniência.

Comentários