Fuga de Babel

Fuga de Babel

(part. Gali)

Fuga de Babel

Rap pra nois é coisa séria
Vingança e justiça domina as artérias
Evito fugir da mentira maquiada
Verdade tem que mostrar a cara
Tem ferida que o tempo não sara, no deserto do saara
Fé faz nascer até feijão!

Fuzil da verdade com o pente estendido
Tanto coração corrompido
Difícil arriscar não ter tempo perdido
Quem rouba de terno também é bandido
Não faça mais parte do povo iludido
Que o tempo é corrido irmão
É que o relógio não para pra te esperar!
Foda que ele não espera ninguém
Sem rap o motivo não existe
Por isso a resistência resiste, persiste
É triste roteiro do filme nacional
Várias fita louco de birita vários sinal
Na neurose veneno letal
Vamo vê quem é quem no final!

E esse ar que me sufoca
Trocaram os valores sem rumores de algo em troca
O tiro da rota, polícia malícia e justiça e matança mas
A minha esperança não se enforca
E eu, vou falar o que pra quem, se pra nois tá errado
E pra quem governa o estado esta tudo bem
Em quem confiar nessas horas tio
Insegurança traz o medo e a confiança vai embora!
Esse é o sofredor brasileiro que acorda cedo
Com medo do mal
Na trilha que segue o enredo calunia em tudo
O veneno é letal!
Eles criam mentiras que chegam no seu consciente
De um modo real
E o habitual pro meu povo é se entregar
E o triste é perceber, que, pra eles parece normal
Vários que tão vivendo mas nem tô moscando
Já tô até prevendo o final
E tantos passam fome homem individual
E os acomodados a se acorrentar
E eu queria ter motivos pra esse inferno virar céu
Apenas o sonho de um mano
Que tá procurando a fuga de babel
Palavras, só são cumpridas com assinatura e papel
E o que são poemas, já que elas, não tem valor pra cuidar
Minha própria vida eu preciso comprar um pincel
Tudo seus sabores, preços e valores
A tal liberdade o vento já levou
Olho pra cima imploro, chuva de amor tio
Pra esse ódio não ser sequela do dilúvio que passou!

Perigo pro povo, programação promove pani pânico
“Pera” um pouco
Pare e pensa proclame e peça progresso
É preciso as pressas
Nessa injustiça imensa quem sabe um dia
Ainda encontro minha paz!
Nego pega paga o preço preciso pra esse pilantra
Penando pra promover, pausa na petulância
Por isso pupila e pani não pode pilotar a espada
E essa escada eu vou subir ainda mais!

Comentários