Padecimento

Padecimento

Ai, a viola me conhece
Que eu não posso cantar só
Ai, se eu sozinho canto bem
Junto eu canto melhor

Ai, vai chegando o mês de agosto
Bem pertinho de setembro
Os passarinhos cantam alegres
Por ver as matas florescendo

Ai, eu não sei o que será
Que já vai me entristecendo
Passando tantos trabalhos
Debaixo de chuva e sereno

Eu não como e não bebo nada
Vivo triste padecendo
Ai, pra um coração de quem ama
O alívio é só morrendo ai, ai, ai

Ai, quem já teve amor na vida
E por desventura perdeu
Não deve se lastimar
Nem ficar triste como eu

Pois eu também já tive amor
Mas não me correspondeu
O desgosto no meu peito
Quis ser inquilino meu

Mas eu tenho esta viola
Que foi enviada por Deus
Ai, que só me traz alegria
E as tristezas rebateu ai, ai, ai

Ai, a viola me acompanha
Desde os quinze anos de idade
Ela é minha companheira
Nas minhas contrariedades

Faço moda alegre e triste
Conforme a oportunidade
Este dom de fazer modas
Não é querer e ter vontade

Tem muita gente que quer
Mas não tem facilidade
É um dom que Deus me deu
Pra desabafar saudade ai, ai, ai

Ai, pra aprender cantar de viola
Primeiro estudo que eu tive
Aprendi com um violeiro velho
Que fazia moda impossível

Pois eu sou um violeiro novo
Mas também quero ser terrível
Faço modas de gente boas
E de alguns incorrigível

Todas modas que eu invento
Ocupo régua prumo e nível
Ai, pensando bem, um violeiro
Com prazer no mundo vive ai, ai, ai

Comentários