Ingrata

Ingrata

Contratei a ventania
Que vai pras bandas do oeste
E mandei notícias minhas
Pra um amor que me conhece

O vento foi e voltou
Resposta não aparece
Não sei se ela ainda me ama
Ou se talvez já me esquece

Cada vez que lembro dela
O meu coração padece
Pego na viola de pinho
Com franqueza me aborrece

O peito geme e soluça
Minha voz enrouquece
É bem triste a gente amar
Alguém que não reconhece

Aqui no bairro onde eu moro
Toda vez que amanhece
O cantar dos passarinhos
É como um hino celeste

Me faz lembrar o passado
Água dos meus olhos desce
Minha vida é como as folhas
Que caindo se apodrece

Conforme o tempo se passa
Meus cabelos embranquece
Abandono e sofrimento
É o que a sorte me oferece

Ingrata, vou-me ausentar
Da minha vida terrestre
Dou-lhe um derradeiro adeus
E você dai-me uma prece

Comentários