O Amargo do Doce

O Amargo do Doce

(part. Rapadura, Jiló)

O Amargo do Doce

Pitaco nunca paga meus boleto
Satisfação não devo, minha conduta é meu discurso, paz
Só eu que comigo acordo cedo
Pra elevar meu saldo, só minha mão que vai na massa
Que venha de um por um, que a mira é a laser
Que guardo no meu case nas garrucha encanada
Só te peço um favor, não suja o blazer
Que eu vim pra ser o melhor e nos derrotado é só granada
Fecha a boca, fala nada
Com a boca fechada a merda não exala
Se afogando em piscina rasa, então vaza
Não sabe o falo da palavra
É lança lançada que [?] engata
Se vir falar de rap, aperta o rec e repete
Memória de disquete, esquece rápido, dá enquete
Só não esquece que cash compra caráter, pivete
Mas um bom rap vive [?] nos moleque

[?] agora versa, versa
Só querem din’ din’ e desconversam, versam
Fazendo diss já não me estressam-tressam
Pra fazer free, que eu sou American Dream
Demais pros teus MC’s
Que agora versam, versam
Só querem din’ din’ e desconversam, versam
Fazendo diss já não me estressam-tressam
Pra fazer free, que eu sou American Dream
Demais pros teus MC’s

Sou ave de rapina e meu vôo livre é mais que [?]
Rima repentina, na esquina, mata artista de estúdio
A saga não se finda, poesia rasa em prato fundo
Morte, vida, severina e minha arte sem latifúndio
Minha parte sem interlúdio, uns degustam o inferno oculto
Estandarte de meus repúdio, os produto interno bruto
Tributo ao inferno mutuo, e essa droga não consola
Antes moda de viola, hoje a moda que viola
Eu tenho um certo nojo em sertanejo universitário
Tem estudo, tem estojo, mas não vejo o que é necessário
Tem tudo, e eu até brinco, Banco Imobiliário
Mas nunca será Zé Rico, tão pouco um Milionário
Um caipira, invadi o palco, já tomei pinga do alto
Mas na Catira, tu é quem cai do salto
Se eu vim do mato, se retira, que eu não morro novato
Se eu tô descalço, então se vira, que o buraco é mais baixo que o asfalto
Pro teu azar não cheguei aqui com sorte, eu sei
Pra que quatro folhas? Com um verso mando a morte a vocês
Não erro quando atiro, sei bem onde miro
Sou como De Niro, eu giro mas nunca perco o norte irlandês
Rapadura é Gonzaga e amarga que nem Jiló
Tu quer todas as notas, eu não tenho dó
Não desperdiço linhas que dou um nó
Quer uma carreira maior?
Quer ter redenção só pra voltar pro pó
Em três minutos tá pronto, sucesso e queda instantâneo
Não adianta bater cabeça sem saber usar o crânio
Se cai no contemporâneo, não vai ter dor de cotovelo
Só boombap espancando cerebelo em subterrâneo

Versam, versam
Só querem din’ din’ e desconversam, versam
Fazendo diss já não me estressam-tressam
Pra fazer free, que eu sou American Dream
Demais pros teus MC’s
Que agora versam, versam
Só querem din’ e desconversam, versam
Fazendo diss já não me estressam-tressam
Pra fazer free, que eu sou American Dream
Demais pros teus MC’s

Comentários