João

João

São tantos e tão poucos tem noção
De como se inaugura uma nação
Não é bem com monumentos
Ou com balas de canhão

É quando uma brisa bate na respiração
E entra no juízo de um João
Que dedica todo empenho
E amor ao seu engenho

Para arejar os cantos da canção
E dar sentido a nossa sensação

Milhares de partículas no ar
Reviravoltam numa vibração
Para nos dar sua benção
Para nos tirar do chão

Como se a rotação da terra fosse então
Essa voz e esse violão

Quando uma só pessoa
No silêncio a perfeiçoa
Toda multidão escuta o coração
E se torna civilização

Comentários